cross
loupe
cross
arrow-left
cross
geoloc Encontrar uma loja

Problemas e soluções oculares

TUDO SOBRE A VISÃO

TUDO SOBRE A VISÃO

Alain Afflelou produz milhões de armações por ano. Ele propõe coleções tendo em conta o seu know-how e expertise de ótico-oculista. O seu principal objetivo é criar coleções que ofereçam o máximo conforto aos usuários de óculos, graças à qualidade dos materiais utilizados e aos processos inovadores e exclusivos.

Dos nossos cinco sentidos, a visão é o que mais usamos. É graças aos olhos que podemos apreciar o mundo ao nosso redor.

A ANATOMIA DO OLHO

O olho está ligado diretamente ao cérebro. É um globo móvel composto de córnea, íris, cristalino e retina, órgãos vivos e músculos fundamentais para uma ver corretamente.


A córnea - cuja forma é comparável à de uma lente - é o primeiro contato com o olho. É uma membrana protetora extremamente sensível que contribui para o mecanismo de visão.

Por detrás da córnea está a pupila : é o circulo negro no centro da íris. O seu raio aumenta ou diminui de acordo com a luminosidade externa (quanto mais forte a luz, menor a pupila e vice-versa) e de acordo com os movimentos da íris. A íris determina a cor dos olhos.

Continuando nosso progresso para o interior do olho, logo atrás da íris, podemos descobrir o cristalino. Esta lente biológica é elástica e transparente. Como um sistema de autofoco, permite focar as imagens para uma visão mais nítida e ao mesmo tempo absorve um pouco os raios UV.

Finalmente, no fundo do olho, encontra-se a retina, um órgão que recebe a imagem visualizada e trata-a e através do nervo ótico, transmite-a ao cérebro.

Qualquer pequena anomalia na anatomia do olho pode levar à ametropia, como miopia, hipermetropia ou astigmatismo, que prejudicam a acuidade visual e levam ao uso de lentes corretivas.

A ACUIDADE VISUAL

A acuidade visual mede a capacidade do olho para reconhecer e detetar um caracter a uma determinada distância. Estes caracteres chamam-se optótipos. Podem tratar-se de letras, números ou símbolos criados para esta medição.


Para avaliar o desempenho visual de uma pessoa, é necessário medir essa acuidade visual, determinando a capacidade de decifrar um objeto colocado a uma distância definida. Esta leitura é feita primeiro com um olho, depois com o outro e, finalmente, com os dois olhos.


A medição da acuidade visual de cada olho é expressa em décimos. A medição da acuidade visual baseia-se no optótipo mais pequeno que a pessoa consegue decifrar a uma determinada distância, por exemplo 6/10º; 10/10º; 12/10º. A relação entre a distância a que se encontra o optótipo e o tamanho do mesmo permitem definir a acuidade visual. Ver claramente um objeto de um centímetro de altura localizado a cinco metros de distância corresponde a uma acuidade visual de 10/10. Isso permite ler, escrever, assistir TV ou conduzir sem o uso de lentes corretivas.

 

A VISÃO, OS PROBLEMAS MAIS COMUNS

 

1.   A MIOPIA

A miopia é um defeito visual que geralmente aparece durante a infância ou adolescência. A miopia traduz-se numa disfunção da visão de longe. Uma pessoa míope tem uma boa visão de perto, mas vagamente percebe os objetos à distância. Um olho míope costuma ser muito comprido ou muito poderoso

Saiba mais sobre miopia

 

2.   O ASTIGMATISMO

O astigmatismo é um defeito da curvatura da córnea (e/ou do cristalino) é caracterizado por uma curvatura desigual da córnea. A córnea tem uma forma de bola de rugby, ao contrário do formato do olho comum, que se assemelha a uma bola de pingue-pongue. A visão é, portanto, imperfeita, confusa e distorcida, tanto na visão de longe como na visão de perto. Esta ametropia está, geralmente, presente desde o nascimento e pode associar-se a uma miopia ou a uma hipermetropia.

Saiba mais sobre o astigmatismo

 

3.   A HIPERMETROPIA

Ao contrário do que acontece na miopia, o olho não é suficientemente potente, é demasiado pequeno e se não for compensado com lentes corretivas, as imagens que se formam, neste caso atrás da retina, são desfocadas. O esforço ocular é ainda mais importante na visão ao perto como a leitura, a costura ou a escrita... O esforço de acomodação pode causar estados de fadiga ocular, dores de cabeça, olhos vermelhos ou lacrimejantes.

Saiba mais sobre hipermetropia

 

4.   A PRESBIOPIA

A presbiopia não é uma ametropia, mas uma evolução natural dos olhos. É por volta dos 45 anos que os primeiros sintomas da presbiopia aparecem. Com o tempo, o cristalino perde a sua elasticidade e não consegue focar os objetos próximos. O presbíope, primeiro começa por ir esticando o braço para conseguir ler e procurar uma iluminação melhor e depois vê-se com a necessidade de usar óculos para ver de maneira clara e confortável na visão de perto.

Saiba mais sobre a presbiopia

 

AFFLELOU, ESPECIALISTA EM ÓTICA, HÁ ANOS QUE SE ESFORÇA EM OFERECER A TODOS, AS MELHORES LENTES NA VANGUARDA DA INOVA

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE LENTES